A carência de auditores e o teto do GSMF também foram debatidos

Por unanimidade, os fazendários do Recife decidiram, em assembleia geral extraordinária realizada no dia 27.2, a mudança do cálculo da mensalidade dos associados. O presidente do Afrem Sindical, Fábio Macêdo, disse que a mudança de cálculo da mensalidade tem por objetivo prover o Sindicato de uma receita extra, desde que os auditores tenham um ganho efetivo através da Gratificação de Superação de Metas Fiscais (GSMF).

“Isso significa que se a GSMF for zero, a contribuição fica praticamente a mesma porque ela passa, ao invés de incidir exclusivamente sobre vencimento, a incidir sobre vencimento, GPF e GSMF a uma alíquota de 0,53%. Antes era 1% do vencimento. Isso quer dizer que o único ganho que o Sindicato terá na sua receita, que tem caído nominalmente, será o incremento da GSMF”, explicou Macêdo.

Ele sugere que os associados tentem convencer os demais auditores que estejam fora do Sindicato que retornem porque  os anos de 2018 e 2019 são de desafios, onde haverá discussão sobre o teto remuneratório, e também devem voltar à pauta as Reformas Tributária e Previdenciária. “Precisamos estar capitalizados para promover ações”.

NOMEAÇÕES -  A carência de auditores e o pedido de nomeação dos aprovados no concurso público, além da negociação sobre o teto limitador do GSMF, foram os outros temas debatidos durante a assembleia.

O secretário-geral, João Victor de Araújo, informou que inicialmente o secretário de Finanças, Ricardo Dantas, se dispôs a chamar cinco aprovados no concurso imediatamente. “A gente quis deixar claro que não pode ser só a chamada de cinco, mas sim a nomeação e posse de cinco, pois nós sabemos que muitos aprovados, que eram 13, não irão assumir. O Sindicato defende a chamada das 42 vagas existentes, que seriam 13 de imediato, e o restante até janeiro de 2019, quando acaba a validade do concurso”.

Rua Prof. Andrade Bezerra, 64 | Parnamirim
Recife – PE | CEP: 52.060-270
Tel.:(81) 3441-6044
afremsindical@afremsindical.org.br